Bibliografias

Sendo que o ser humano desenvolve todos as suas atividades dentro de algum espaço, os ambientes estudados pela Psicologia Ambiental são os mais variados. Além do mais, não existe uma teoria única da Psicologia Ambiental, as suas bases teóricas são muito diversas.

À título de completar seus conhecimentos básico sobre a psicologia ambiental, sugerem-se os seguintes textos:

  • Moser, G. (2018). Introdução à psicologia ambiental: pessoa e ambiente. (trad. L. Cacais & I. Günther). (original 2009).
  • Steg, L., van den Berg, A.,  & , de Groot, J. (eds.). (2013). Environmental psychology: An introduction. London: Wiley.
  • Winter, D. D. N., & Koger, S. M. (2004). The psychology of environmental problems. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum.
  • Manuais de psicologia ambiental atualizados:
    • Bechtel, R. B., & Churchman, A. (Eds.). (2002). Handbook of environmental psychology. New York, Wiley.
    • Clayton, S. (ed.) (2012).Handbook of environmental and conservation psychology. New York: Oxford U Press.
  • Material para traçar a história da área:
    •  Artigos da publicação Annual Review of Psychology, em ordem cronológica
      • Craik, K, H. (1973). Environmnetal psychology. Annual Review of Psychology, 24, 403-422.
      • Stokols, D. (1978). Environmnetal psychology. Annual Review of Psychology, 29, 253-295.
      • Russell, J. A. & Ward, L. M. (1982). Environmental psychology. Annual Review of Psychology,  33,  651-689.
      • Holahan, C. J. (1986). Environmental psychology. Annual Review of Psychology, 37, 381-407.
      • Saegert, S., & Winkel, G. H. (1990). Environmental psychology. Annual Review of Psychology, 41, 441-477.
      • Stern, P. C. (1992). Psychological dimensions of global environmental change. Annual Review of Psychology, 43, 269-302.
      • Sundstrom, E., Bell, P. A., Busby, P. L., & Asmus, Ch. (1996). Environmental psychology 1989-1994. Annual Review of Psychology,. 47,  485-512.
      • Suedfeld, P. & Steel, G. D. (2000). The environmental psychology of capsule habitats. Annual Review of Psychology, 51, 227-253.
      • Evans, G. W. (2006) Child development and the physical environment. Annual Revew of Psychology, 57, 423-451.
      • Oishi, S. (2014). Socioecological psychology. Annual Revew of Psychology, 65, 581-609.
      • Gifford, R. (2014). Environmental psychology matters. Annual Review of Psychology, 65, 541-579.
    • Outros artigos das publicações de Annual Review
      • Buttel, F. H. (1987). New directions in environmental sociologyAnnual Review of Sociology, 13, 465-488.
      • Dunlap, R. E., & Catton Jr., W. R. (1979). Environmental sociology. Annual Review of Sociology, 5, 243-273.
      • Lawrence, D. L., & Low, S. M. (1990). The built environment and spatial form. Annual Review of Anthropology, 19, 453-505.
      • Lindheim, R., & Syme, S. L. (1983). Annual Review of Public Health, 4, 335-359.
      • Newell, B. R., McDonald, R. I., Brewer, M., & Hayes, B. K. (2014). The psychology of environmental decisions. Annual Review of Environment and Resources, 39, 443-467..
      • Pellow, D. N., & Brehm, H. N. (2013). An environmental sociology for the twenty first century. Annual Review of Sociology, 39, 229.250.
      • Taylor, S. E., Repetti, R. L., & Seeman, T. (1997). Health psychology: What is an unhealthy environment and how does it get under the skin? Annual Review of Psychology, 48, 411-447.
    • atenção: uma busca com a palavra environmental (enquanto adjetivo) na página das publicações Annual Review, delimitando a busca aos títulos dos artigos, resulta em mais de 400 referências.
    • Artigos publicados nos Annual Reviews estão disponíveis via Portal Periódicos da CAPES, bem como no Google Drive desta disciplina.
  • Material produzido por pesquisadores no Brasil (a completar)
    • Cavalcanti, S., & Elali, G (Orgs.). (2001). Temas básicos em psicologia ambiental. Petrópolis, RJ: Vozes.
    • del Rio, V., Duarte, C. R., & Rheingantz, P. A. (Orgs.). (2002). Projeto do lugar: colaboração entre psicologia, arquitetura e urbanismo. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria / ProArq.
    • del Rio, V., & Oliveira, L. (Orgs.). (1996). Percepção ambental: A experiência brasileira. São Paulo: Studio Nobel.
    • Günther, H., Pinheiro, J. Q., & Guzzo, R. S. L. (Orgs.). (2014). Psicologia ambiental: Entendendo as relações do homem com seu ambiente (3ª ed.). Campinas, SP: Alínea.
    • Okamoto, J. (1997). Percepção ambiental e comportamento: Visão holística da percepção ambiental na arquitetura e comunicação. São Paulo: IPSIS gráfica.
    • Pinheiro, J. Q. (Editor Responsável). (1997). Especial: Dossiê Psicologia Ambiental. Estudos de Psicologia (Natal), 2, 329-398.
    • Pinheiro, J. Q., & Günther, H. (Orgs.). (2008). Métodos de pesquisa nos estudos pessoa-ambiente.  São Paulo, SP: Casa do Psicólogo.
    • Tassara, E. T. O., Rabinovich, E. P., & Guedes, M. C. (Eds.). (2004) Psicologia e Ambiente.  São Paulo: educ.
    • Tassara, E. T. O. (Ed. Convidada). (2005).Psicologia e ambiente. Psicologia USP, 16 (1/2).,
  • Algumas revista importantes da área de psicologia ambiental – isto não quer dizer, que não existem artigos sobre temas da área em outras revistas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s